Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2018
PENSAMENTO, ARTE E NATUREZA

Hoje comecei o dia, com uma tomada de posição a definir procedimentos,  uma opção que ao longo do ano não validei, talvez arrastado de uma diversidade de tendências imediatas, aliciantes ou óbvias dependendo do pensamento presente, e da forma como ocupar o tempo disponível que sobra das necessidades quotidianas. As cicatrizes do tempo são visíveis e tem-se arrastado Há já alguns dias, nada de muito agressivo mas, persistente em continuar, com humidade e chuva intervalada, e durante a noite algum vento, a notar pela quantidade de vasos partidos e deslocados dos seus lugares, a verdade é que nos faz sentir saudade da neve de natal e do gelo a tapar os recipientes com água, características que nós velhos jovens fomos forçosamente habituados, agora sussurramos  “o tempo está a mudar”, a providência é surda para nos dar alguma dica quanto ao futuro, mas o nosso instinto indica ambientarmos-nos, lá vem o velho ditado, o que não tem remédio remediado está..

      Ao olhar as plantas desgastadas pelo atrito, causado pelo impacto do vento e os arranhões da chuva, apeteceu-me tirar umas fotos, a toda aquela natureza desfalecida sem maquilhagem, de cores lindas  que noutras estações do ano nos seduziam com tanta beleza, ao mesmo tempo não achei despropositado, tirar do anonimato alguns trabalhos que fiz recentemente, porque os mesmos se enquadram bem no meio das plantas. Enquanto carregava a bateria da reflexe, eu olhava através da janela e sentia que nem tudo era negativo,  se muitas plantas, não se revestiam com a beleza com que nos acostumaram, deixavam outras brilhar com o seu manto verde, as azáleas  estão agora a despedir-se das flores, são flores de inverno, que nos tem feito companhia nestes dois meses, as camélias estão quase a dar flor, e pensando um pouco mais profundo, um dia de chuva nem é assim mau, até nos chama a atenção  para determinados detalhes positivos que de outra forma nos escapava, tentarei isolar um pouco a máquina fotográfica, mas não me privarei de bater umas fotos independentemente da qualidade que possa obter. Este meu pensamento é pessoal e momentâneo, Eu sei quanto custa trabalhar e ir para o trabalho e apanhar molhadelas,  com tempo assim, já tudo por mim passou, Lembro-me dos que estão hoje a fazer uma greve justa e pacífica, e enfrentar contrariedades e até a chuva. 

As buganbílias estão a perder a cor e as flores

as bugambilias.JPG

 

Aromáticas.JPG

  1. As ervas aromáticas sobrevivem num remanso do inverno
  2. indiferentes, a erva príncipe resiste bem sem a geada

salvia ananás,  ainda se vislumbra na época.JPG

A salvia Ananás, ainda mostra um pouco da sua elegância

piripiris `a espera de ser colhdos.JPGbalança -força e desenquelíbrio.JPG

Fruto à espera de ser colhido                                             Aproveito para junto com a natureza mostrar alguns trabalhos de forja recentes . A balança mostra o desequilíbrio do País, motivo da contestação de hoje dos coletes amarelos

fonte dos namorados.JPG   cupido.JPG

A bica dos namorados (feito com duas sacholas)           O cúpido (simbolizando)

Ginko biloba e Abeto os contrastes do inverno.JPGTorre Eiffel.JPG

 

           

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um Ginco biloba Depenado e um Abeto (contraste)                      A Torre Eiffel

martelo de pedreiro.JPGrepresenta a terra, cada vez mais desiquelibrada.J

Quanto suor e obras faria esta ferramenta                          A terra  é cada vez mais espremida, temos que nos                                                                                                           aguentar dentro dela

machado.JPGIMG_3845.JPG

Esta ferramenta ajudou a aquecer lareiras             Árvores em debandada e opulência

lança -laranjeira mexic..JPGIMG_3861.JPGsentinela.JPG

Sentinela de laranjeira mexicana-       Ainda existem flores                  Sentinela das Azáleas

 Um abraço,  e para todos um bom Natal e um bom 2019

João Alves 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por J. Alves às 19:43
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

PENSAMENTO, ARTE E NATURE...

DESPEDIDA DE 2017

BIFE DA PÁSCOA de 1974

QUIABO Abelmoschus escule...

TREVO CERVINO -­ PLANTAS ...

ERVA PRINCIPE -­ PLANTAS ...

ABELHAS ASIÁTICAS EM CARD...

16ª Meia Maratona Manuela...

CARDIELOS, NOS SEUS RECÔN...

AZEVINHO PLANTA MEDICINAL

arquivos

Dezembro 2018

Dezembro 2017

Março 2016

Dezembro 2015

Outubro 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Junho 2013

Dezembro 2012

Julho 2012

Abril 2012

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds