Sábado, 14 de Abril de 2007
Cardielos - Páscoa

Observancias minha terra P6

 
Embora, editado atempadamente, tardiamente foi publicado por questões técnicas, as minhas desculpas.
 
Páscoa
 
            Se a minha memória não me atraiçoa, creio que sempre vivi os dias de Páscoa na minha terra, mesmo em tempos menos propícios para a pontualidade de calendário, na altura em que cumpria o serviço militar, 37 meses), arranjei sempre maneira de passar esta quadra anual no convívio da família, igual procedimento se concretizava no natal, daí que, me sinto mais à vontade para fazer uma análise, da vivência da Páscoa de há trinta anos, há vinte anos ou há dez anos, em termos de comparação com a Páscoa actual. Em, Cardielos, normalmente, há um voluntário que se oferece para ser o “mordomo da cruz”, noutras terras poderão ter outros nomes como, “juiz da cruz “ e, terras há que tem mais do que um juiz da cruz. O mordomo da cruz tem várias tarefas e obrigações a cumprir durante o ano, poderão ser feitas por si, ou pagar a terceiros, nessas tarefas, obriga-se a tocar o sino para as missas, que são três toques, 1º- um toque repenicado, seguido da elevação total do sino grande, e repenique final, meia hora depois, 2º toque -“picar”; uma sequência de badaladas no sino grande, uns segundos de intervalo e três badaladas no fim, mais meia hora e segue o 3º toque; “começar”, são apenas três badaladas no sino grande com intervalo de segundos, hoje o toque dos sinos, já é executado por mecanismos electrónicos, salvo raras excepções, confesso que também eu gostava de repenicar os sinos, naquele tempo, os sons não obedeciam a um padrão específico, eram um tanto personalizados, eu excedia-me na duração do toque, era aliciante. Além desta tarefa, o mordomo terá que fazer manutenção das velas de cera e outras manutenções, ajuda nos serviços religiosos, das missas do domingo e sábado, assim como, mais tarefas acrescidas, em alguns dias do ano, tem que exibir a cruz em todas as procissões, em todos os funerais etc. No dia de ramos tem que distribuir palma ou palmitos aos paroquianos, no dia de Páscoa, chega então o seu dia principal, estreia um fato, coloca a tiracolo, uma toalha de linho bordada, onde apoia a cruz de prata, brilhante e bem perfumada, com que vai percorrer toda a freguesia, faz um grande banquete com pessoas por si convidadas, que podem ter um número de dezenas ou centenas conforme a sua vontade e as suas posses, é completamente livre este procedimento, e exclusivamente da sua vontade, cabe também ao mordomo, a compra dos foguetes, que se vão ouvindo estalejar no ar, contrata o grupo  musical, que acompanha o compasso.
 O grupo da mordomia, é normalmente composto pelo padre, mordomo, rapaz da caldeira, rapaz da campainha, duas mordomas com o traje minhoto, que recolhem o folar para o padre e duas mordomas, que recolhem o folar do mordomo. Em quase todas as casas, no meio da sala, ou noutra dependência, é colocada uma mesa bem apetrechada com comes e bebes, para os amigos, que nesse dia vão  beijar a cruz e desejar as boas festas, e cantar numa só vós, ALELUIA, ALELUIA, JESUS RESSUSCITOU ALELUIA, mas voltando atrás, e analisando, a   Páscoa de ontem e a Páscoa de hoje, antigamente, todas as casas estendiam flores nos portões de entrada, convidando assim, a cruz a entrar, havia aglomerado de pessoas aqui e ali, sentia-se que a aldeia estava toda em festa por dentro e por fora, sentia-se uma expressiva alegria nas pessoas, no ar pairava um intenso perfume primaveril, havia mais sentimento na Páscoa, a festa do mordomia, certamente não seria tão pomposa como actualmente, mas a vivência das pessoas era muito maior, até a missa do galo talvez porque não havia iluminação nos caminhos, e hoje existem ruas iluminadas, vivia-se esta quadra pascal, a Ressurreição de Cristo, com uma vivência mais profunda.  

 Devido à doença do nosso Pároco, não tivemos padre na visita pascal, e também à falta do mordomo, os serviços foram, acautelados por leigos e pelos membros da confraria do Senhor, com total eficiência e brio, sobretudo, com muita alegria, acompanhados por um divertido grupo de gaitas galegas e bombos, estão pois de parabéns, pena é, que muitas casas não abrissem as suas portas como nos outros anos, talvez reflexos dos tempos que correm, motivem as pessoas ao desmotivo na rota de procedimentos anteriores.

descendo a calçada da escola

percorrendo

pascoa 2007

,

quem canta, reza duas vezes


sinto-me: óptimo

publicado por J. Alves às 23:44
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Franc a 17 de Abril de 2007 às 22:36
Muito obrigado pelo naco de cultura que nos deixa aqui ficar. É sempre agradável visitar este blog porque se aprende sempre qualquer coisa. Saudações bloguistas do Francisco.


De antonioduvidas a 18 de Abril de 2007 às 22:22
Achei interessante como nos narra o compasso da sua terra. Os toques dos sinos identifico-os também, na minha terra davam o nome de bombear o sino grande. Quanto ao folar de dádiva agora é monetário mas há 30, 40 anos havia escassez de dinheiro e então um dos acompanhantes do compasso andava com uma "condessa" para recolher os ovos, que era aquilo que as pessoas podiam dar! Quanto a componentes femininas ainda hoje na minha terra não têm entrada no compasso. É uma terra, concelho, conservadora, na questão do aborto votou em massa pelo não.
Saudações, antonio


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29

31


posts recentes

DESPEDIDA DE 2017

BIFE DA PÁSCOA de 1974

QUIABO Abelmoschus escule...

TREVO CERVINO -­ PLANTAS ...

ERVA PRINCIPE -­ PLANTAS ...

ABELHAS ASIÁTICAS EM CARD...

16ª Meia Maratona Manuela...

CARDIELOS, NOS SEUS RECÔN...

AZEVINHO PLANTA MEDICINAL

IMPATIENS WALLERIANA-Plan...

arquivos

Dezembro 2017

Março 2016

Dezembro 2015

Outubro 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Junho 2013

Dezembro 2012

Julho 2012

Abril 2012

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds