Domingo, 9 de Dezembro de 2007
Na Sombra de Cardielos

Por Cardielos 

 

            Por motivos de compromissos pontuais, não me foi possível acompanhar atempadamente alguns eventos da nossa terra, com os quais eu me identifico, e de igual modo, sempre que me é possível, dou as mãos e me entre ligo, só que por vezes , coexiste afazeres de compromisso, e aí a nossa vontade fica bloqueada, e tem o efeito catastrófico, como balde de água fria na nossa cabeça em dia invernal, mas em consciência, tenho que fazer transparecer, as réstias do resto do S. Martinho em 11 de Novembro, foi convidado como toda a gente da Aldeia, pela Confraria de S. Silvestre, que tinham 400 quilos de castanhas do douro  e um pipanço inox cheio até à tampa de bom vinho de boca aberta, eu queria dizer bica aberta, a verdade,  é que já tardiamente quando toda a malta se divorciava do bem bom, eu sulcava monte acima com a ânsia de encontrar algo do ainda bom, era tardinha de todo, mas quase não tinha lugar para estacionar o carro ofegante da íngreme picada.

            As castanhas estavam divinas, e a bebida também, por ali estavam também acampados os escuteiros de Barroselas, organizado com estruturas próprias, alusivas ao S. Martinho, em que se podia reparar desde o lobito ao chefe, as negras pinturas de guerra , bem estampadas nas faces, dos tições do braseiro,  de assar as castanhas.

            Ficam algumas fotos do resto.

                                                              

                                           Ordem para recolher

  

                                   

                                                                               O resto do dia

                                                             

              As castanhas, para os que virão

                                                           

                                                                                   o pipanço

 

 

            Outro evento, que foi levado a efeito pela Associação Cultural e Recreativa de Cardielos, foi uma visita guiada, aos locais mais assinaláveis de Cardielos, em que se concluiu, com almoço em S. Silvestre, também não me foi possível estar presente embora sabendo antecipadamente da data, mas por motivos de força maior, estagnaram a minha vontade, impedindo os meus ímpetos de querer seguir essa caminhada. A esperança diz – haverá uma próxima, eu acredito, eu diria mais, e porque não falar de pessoas, que fizeram parte da nossa aldeia, e que nós nem conhecemos, mas que ouvimos narrações dos mais velhos, lembrem-se.  

 


sinto-me: me recuerdo

publicado por J. Alves às 21:35
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29

31


posts recentes

DESPEDIDA DE 2017

BIFE DA PÁSCOA de 1974

QUIABO Abelmoschus escule...

TREVO CERVINO -­ PLANTAS ...

ERVA PRINCIPE -­ PLANTAS ...

ABELHAS ASIÁTICAS EM CARD...

16ª Meia Maratona Manuela...

CARDIELOS, NOS SEUS RECÔN...

AZEVINHO PLANTA MEDICINAL

IMPATIENS WALLERIANA-Plan...

arquivos

Dezembro 2017

Março 2016

Dezembro 2015

Outubro 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Junho 2013

Dezembro 2012

Julho 2012

Abril 2012

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds